Arquivo da categoria: Diversão

Bar ou livraria?

Pra quem tá afim de ir tomar uma cervejinha com os amigos e ainda ver uns livros legais, tem um lugar ótimo pra isso: Mercearia São Pedro! Fica na Vila Madalena, bem pertinho do metrô, e é composto de um barzinho, livraria, videoteca e, claro, uma mercearia!! O bar existe desde 1968, sem falar que é um perfeito ponto de encontro para quem curte assistir futebol e tomar uma com os brothers!

As mesas são decoradas com histórias em quadrinhos, fotos e dicas como essa aqui que é ótima:

mercearia-mesas

Apesar da cara de antigo, você pode pagar com cartões de débito e crédito, para que você possa consumir bastante, pois tem umas caipirinhas e porções deliciosas. Além de mesa ao ar livre e acesso para deficientes físicos, também tem estacionamento pago no local e os garçons são super simpáticos! E quando eu falei para um dos donos, o Seu Marcos, que ia postar no blog, ele me deu uma caixinha de fósforo personalizada da casa, que vai pra coleção!


Onde? Rua Rodésia, 34, Vila Madalena
Quando? Segunda a sexta das 10h à 1h. Sábado das 10h à 1h. Domingo das 11h às 18h
Contato? (11) 3815-7200

Músicas, cópias e samples

Olá pessoal, faz tempo que eu (Bombom) não escrevo aqui, estava com saudade e até acho que perdi um pouco a prática, mas espero voltar a escrever muito de novo sobre as coisas legais que eu e as Garimpeiras encontramos por aí.

Há um pouco mais de 2 anos atrás conheci uma banda de Trip Hop chamada Portishead (que eu considero uma das melhores trilhas sonoras para sexo!). De cara a música que me foi apresentada (e não poderia ter sido diferente) foi a mais conhecida deles, a Glory Box:

Quando ouvi, logo achei que ela não era muito estranha, que eu a conhecia de algum lugar, mas como era a música mais conhecida da banda, pensei que poderia ter ouvido alguma vez na rádio. Ouvindo a música mais algumas vezes, percebi realmente de onde eu a conhecia: era do Racionais MC’s, isso mesmo, do Racionais! Eu já tinha ouvido o “fundo” da Glory Box na música Jorge da Capadócia que está no álbum Sobrevivendo no Inferno de 1997 (álias é o melhor disco do grupo – sim eu gosto de algumas músicas do Racionais, e porque não? não tenho vergonha em dizer), que por si só já é cheia de referências e digamos, por hora, “cópias”.

Primeiro porque essa música é uma releitura de uma música de mesmo nome do Jorge Ben Jor, quando ainda era apenas Jorge Ben, e fazendo umas pesquisas descobri que é de um disco de 1975 – Solta o Pavão – que segundo meu pai tem umas músicas bem doidas (vale ouvir!).

Essa música é muito mais que apenas uma homenagem a São Jorge, santo católico conhecido como o guerreiro que matou o dragão (e por ser símbolo da torcida corinthiana – a qual eu faço parte! rs), é também uma releitura da Oração a São Jorge, que usa praticamente todo um trecho da reza:

Oração a São Jorge

Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.

Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.

Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meu inimigos.

Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.

São Jorge Rogai por Nós.

E por que eu resolvi falar tudo isso agora? Calma, eu já explico. Voltando um pouco ao presente, há umas duas semanas atrás estava eu ouvindo meu vasto conteúdo musical – que ocupa todo o HD do meu computador – no modo aleatório mesmo. Aí começou aquela melodia (que eu já conhecia bem) no meio de uma música do Isaac Hayes, Walk On By (de 1969). Eu não acreditei, tive que voltar a música e repetir aquele trecho que tinha passado despercebido antes! Era a melodia da música do Portishead, ou seja, eles tinham pegado um trecho da música do Isaac Hayes e fizeram um loop que ficava repetindo na Glory Box inteira.

Achei genial essa minha descoberta e quis saber um pouco mais da relação entre essas três músicas (Glory Box – Portishead/Jorge da Capadócia – Racionais Mc’s/Walk On By – Isaac Hayes). Googlei os três e apareceu um dos sites mais legais que já encontrei nos últimos tempos: Who Sampled, ou no quase português “Quem Sampleou”. Lá dá pra você descobrir quem sampleou quem, quem copiou quem e quem fez cover de quem. E nessas você descobre que tem muita música que você acha foda hoje mas que nada mais é que uma cópia barata (ou mesmo realmente bacana) de uma música de décadas atrás!


E pra você ver como o negócio realmente não pára por aí, é tipo reação em cadeia. No site eu descobri mais músicas relacionadas e também com a mesma melodia! A música Walk On By cantada pelo Isaac Hayes nada mais é que um cover da Dionne Warwick (gravada em 1965) e muitos outros cantores da época já gravaram esta música.

E mais, não é a Walk On By a base de Glory Box e Jorge da Capadócia e sim outra música do Isaac Hayes que tem o mesmo trecho (ou seja o cara fez um sample da própria música dele, que doido isso!), a Ike’s Rap II.

Mas ainda não pára por aí! Sim, essa música na verdade foi sampleada da Daydream de um grupo chamado Wallace Collection

Vocês ouviram bem? Essa música não é nada estranha, né? Que tal refrescar a memória:

Tá eu vou parar por aqui, senão vai até o infinito rsrs! Recomendo mesmo vocês pularem até o Who Sampled e checarem tudo! Mas antes de ir, deixo com vocês mais algumas músicas que foram sampleadas e que tem entre algumas delas uma relação no mínimo estranha, depois me digam se vocês acham que isso tudo é cópia ou criação em cima de algo bom que foi feito, uma re-criação, talvez?

Ah e a pergunta que não quer calar, e a Lady Gaga, será que ela samplea? Sim, ela também “samplea”!

Onde? Who Sampled
Quando? Tiver vontade de ouvir uma música “nova” ou saber qual é a “velha”
Quanto?
Mais, melhor!
Contato?
www.whosampled.com

Alley – alternativos na Barra Funda

Olá a todos. Estamos pouco a pouco voltando com nosso blog, e voltar a ter bastante opções como era antes xD

Esse final de semana, eu, a yvone e a mairinha fomos para um aniversário de um amigo nosso. Sabíamos que era na Barra Funda e que o som era estilo Milo, sendo assim, fomos bem empolgadas para o lugar. Apesar de toda a demora pra chegar lá, chegamos e curtimos muito tudo 😉

Para quem curte um som mais alternativo, mas que não abuse tanto desse termo, a Alley é uma boa opção para se divertir na noite de São Paulo.

A Barra Funda conta com algumas baladas de mesmo estilo pela região, como: D-Edge, CB, Clash, Berlin. Todas possuem um som alternativo e cada dia da semana é realizado uma festa diferente, mas como esse post é sobre a Alley e vamos focar nela.

Logo de cara, é possível perceber que a balada foi feita para quem curte sair pra ferver, ou seja, pra quem curte sair pra dançar muito, acompanhado de diversos drinks deliciosos, cervejas boas e muita gente bonita. O espaço é pequeno, comporta cerca de 250 pessoas, mas tem espaço suficiente pra dançar a vonts. A entrada é super bonita, estilo D-Edge. Para quem chegar até a 1 hora da manhã, o valor de entrada é R$10 com o cupom da casa, que dá pra imprimir direto do site da casa, apenas no dia do evento.

Entrada Alley

Pista Alley

A pista é o primeiro espaço da casa, toda a galera curtindo o som em altos decibéis, não tem como resistir à pista,é totalmente tentadora pra quem tá a fim de curtir muito a noite. O bar é na pista, no canto, e tem a vantagem de ser um atendimento super rápido, não é preciso ficar horas gritando pro barman te atender.

Lounge Alley

Lounge Alley

O lounge fica no andar de cima. É bem tranquilo, um espaço delicioso para bater um papo com os amigos e conhecer melhor a galera que frenquenta a casa. O espaço é super bonito e aconchegante, no fundo, ao invés de parede, tem um vidro que ocupa o espaço todo e dá vista para os trilhos de trem do metrô Barra Funda. Todo o espaço é bem underground e casa com o estilo de música da casa.

Para quem curte um som alternativo, mas conhecido. Para quem curte noites de Milo, D-Edge e Funhouse, essa é uma boa pedida para se divertir a noite com seus amigos e ainda ouvir um bom som.

#Fikdik do @encontreiaqui

Onde? Rua Barra Funda, 1066 | Barra Funda, São Paulo
Quanto? R$20 s/ nome na lista e cupom. R$ 10 com cupom ou nome na lista (imprima seu cupom no site!)
Contato? telefone: 11 3666 0611 | email: contato@alleyclub.com.br
www.alleyclub.com.br

Pra comemorar!?

Depois de uns meses de recesso e uma fase difícil pela qual nós garimpeiras passamos (ele, o TCC, claro!), venho aqui em nome de todas pra dizer que… tchan tchan tchan tchan… estamos todas formadas uhuul! Então, o Encontrei Aqui voltará a ativa e pra comemorar, nada mais justo que aproveitar o ritmo da Copa do Mundo com: vuvuzela! ~.^

Se você num guenta mais esse povo que nunca viu uma cornetinha na vida, ou esse barulhinho que mais parece um enxame durante os jogos, aqui vai uma dica: só não se incomoda com o barulho que o está fazendo! Rá! E já que é assim, o jeito é entrar no clima… o blog do Dr. Pepper postou uma vuvuzela virtual pra você irrit.. digo, curtir a Copa! Tá aqui ó:

Bom divertimento pra todos ^^

Ahh, só cuidado com a versão Joselito, hein… hehe…

Pub ao estilo Britânico em São Paulo

São Paulo, terra de tantas variedades, estilos, gostos e tal tal e tal. Quem não sabe disso? Quem nunca virou uma esquina e passou de um som delicioso, para um som de forró-risca-faca (sem preconceitos, são só comparações =P ). Mas nada combina mais que um clima de chuva, e chuva lembra Londres (tempo feio e tons de cinza é lá mesmo). Não deixando de ser encantador, se tornou a paixão da grande maioria dos jovens, pré-jovens, adultos e mais que adultos. Quem não morre de vontade de ir para Londres conhecer todos aqueles pubs de filmes e livros? Pois é, eu sou apenas mais uma que passa essa vontade. Mas sem medo de ser feliz, estou comparando o The Republic Pub com todos esses pubs britânicos (até por que, logo na entrada a primeira coisa a se notar é um orelhão daqueles com cabine vermelha – lindo, lindo, lindo -). Conhecemos este Pub em um típico aniversário de um dos meus amigos da época do colégio, e como de costume, fomos todos e mais agregados, resultado: 10 seres achando que estavam sozinhos na festa. Após a famosa dose de tequila para brindar o novo aniversário conquistado, fomos “bailar na pista de dança” ao som de uma banda muito boa, que me desculpem por não lembrar o nome (mas fomos em um sábado, então provavelmente deve ser a mesma). A cerveja é boa, geladinha e recomendo comprar o balde que sai mais barato. No dia o preço era bem bacana M-10 H-15 c/ nome na lista e aproveitamos cada centavinho gasto depois. Para as meninas, fikdica: O BANHEIRO É LIMPO, CHEIROSO E NÃO É CHEIO (MARAVILHAA).

A decoração é linda, só que é preciso entrar no site para conferir, pois não consegui arrastar para cá.

Vale a pena conferir e se divertir demais, combine com seus amigos e vá tomar um delicioso balde de cerveja!

The Republic Pub
Onde? Rua Delfina, 110 – Vila Madalena – São Paulo|SP
Quanto? Mulher R$10 e Homem R$15 com nome na lista
Estacionamento com manobrista
www.republicpub.com.br